CONVERGINDO

Publicado: 26 de maio de 2017 em Sem categoria

Toda verdade é verdade de Deus mesmo que pronunciada pela boca de um ímpio”.

No ano passado, 2016, eu tive uma experiência interessante com os adeptos da Torre de Vigia (Testemunhas de Jeová). Para quem não sabe, são aqueles que batem na porta das casas, geralmente aos domingos e durante a manhã, a fim de “evangelizarem” novos adeptos para seita. Vendem ou doam aquela revista de sofá (SentiNela!).

download

Em um dia de evangelismo que a nossa igreja realizava cruzamos com eles, onde houve um evangelismo mútuo. Nesta oportunidade eu pedi para que viessem a minha casa para conceder o discipulado, e assim foi por quase um ano – por deveres novos que apareceram, paramos com tais estudos.

Durante este tempo desenvolvemos uma boa amizade, conversas proveitosas e tempos gostosos. Contudo, a estratégia a qual eu adotei foi outra, não a de ficar confrontando ou divergindo de suas doutrinas, ou ainda indo direto para a “briga” ou “debate”. Busquei em tal tempo achar os pontos de contato, o que tínhamos em comum, e a partir dai, de forma discreta, mostrar a superioridade das doutrinas da fé cristã revelada nas Escrituras Sagradas em relação às heresias deles (jamais usando esse termo). Fui compartilhando as experiências de trabalho, transformações de vidas, missões, mensagens e etc., e sempre nesse compartilhar havia junto, como fundamento, alguma instrução daquilo que cremos. Logicamente, que no momento que eles começavam a expor suas doutrinas erradas, especialmente sobre Cristo e o Espírito Santo, eu buscava de uma maneira muito amigável e educada mostrar o “outro lado da moeda”, onde se tornava perceptível à dúvida que aparecia no olhar de um deles.

Resultado de imagem para convergência

Cornelius Van Til, grande apologista reformado do século passado, nos ensinou que entre um cristão e o não cristão existe um ponto de contato. Um ponto de referência final entre os sistemas de ambos que pode tornar ou facilitar os fatos e as leis entendidas. O diálogo deve partir de tal e conforme vai se desenvolvendo, naturalmente, mostrará a superioridade das respostas que a fé cristã revelada nas Escrituras Sagradas tem. Gordon H. Clark, outro apologista reformado, argumentou que há entre os cristãos e os não-cristãos um campo comum. Na teologia reformada existe algo conhecido como graça comum, isto implica que Deus providenciou algumas bênçãos naturais, como também, posturas íntegras e morais, como também, opiniões corretas para todos os homens. Devido a tal graça comum entra nosso dever de enxergar qual é o ponto de referência, contato, ou campo comum que há entre nós a fim de iniciarmos o diálogo. Por isso que o nome deste artigo é: CONVERGINDO. A convergência, grosso modo, é quando existe uma direção a um ponto comum.

Nosso problema é que já adotamos naturalmente uma apologética divergente, adialógica, em constante desacordo da maneira de crer, ver, pensar e viver. Não critico a funcionalidade de tal apologética, é um bom sistema. O que questiono é o uso pleno dela!

O apóstolo Paulo quando esteve no Areópago em Atenas (At 17.15 – 34) usou o método convergir. Ao chegar observou o altar ao “DEUS DESCONHECIDO” e partir de lá começou o seu discurso, não falando do Deus de Abraão, Isaque e Jacó, nem citando textos veterotestamentários, mas, sim, citando uma poesia grega e dela levando os ouvintes compreenderem a verdade do evangelho. O tal altar e a tal poesia foi o ponto de contato, referência, campo em comum, a fim de apresentar a mensagem da fé cristã.

Resultado de imagem para Paulo no areópago

O que fica de desafio para nós? João Paulo II no CVII trouxe um termo chamado de aggionarmento que significa atualização, ou seja, a devida contextualização da mensagem para os nossos dias. Quando apresentou tal termo ele também incentivou para que os católicos (podemos aprender com tal verdade) conheçam seus Novos Areópagos, especialmente uma referência às mídias. Este é, portanto, o nosso desafio! Observemos esses Novos Areópagos que vivemos em nosso contexto pessoal e nele achemos um ponto comum, que nos leve a convergir com quem nos ouvirá ou dialogará, e partir de então mostremos a superioridade e relevância da fé cristã revelada na Bíblia. Façamos tal ponte!

Pastores façam isso em seu púlpito! Pais de família façam isso em sua casa! Jovens façam isso em sua escola! Universitários façam isso em sua universidade/faculdade! Homens e mulheres façam isso em seu trabalho! Todos nós façamos isso nas redes sociais!  Descubramos os Novos Areópagos, achemos neles o ponto de convergência, e por fim apresentemos a fé cristã que a bíblia revela como sua “prosa”!

“Nos meus próprios livros sobre apologética tentei sistematicamente basear-me em algum ponto útil de contato entre o evangelho e a cultura”!

(John Edward Carnell)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s