VIRTUDE, HONESTIDADE E TEMOR

Publicado: 24 de março de 2016 em Sem categoria

 

O link que segue abaixo é um áudio em que o educador e filósofo Mario Sérgio Cortella articula acerca da honestidade, de maneira sucinta, porém, profunda. Escutem!!

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mario-sergio-cortella/2016/03/21/HONESTIDADE-E-UM-CRISTAL-QUE-AO-SE-ROMPER-FICA-COM-MARCAS.htm

_________________________________________________________________

Em diálogo com que ele falou, que é um ponto convergente entre a fé cristã e a moral humana como também uma urgência para nosso meio, eu cito um homem bíblico conhecido como Jó.

No livro que leva seu nome, capítulo 1 e versículo 1 diz que ele “era homem integro justo“.  Palavras estas que pode ser reportar ao teor da honestidade que foi articulado pelo filósofo acima.

O tempo que separa as palavras deste filósofo com as palavras que a bíblia identifica Jó é um parênteses incontável, no entanto, em ambos há um sentimento e uma verdade expressa que podemos chamar de categoria universal (princípio imutável ou um dever independente do tempo e do espaço) que é a honestidade.

Contudo, que me chama a atenção e deve chamar a sua é que Cortella fala que nossa conduta não pode ser parcialmente honesta, ou ainda, pensar que só porque uma vez fui honesto agora estou com crédito tal de poder ser desonesto em outras situações.

Isto nos faz voltar a Jó. Quem conhece sua história sabe que, pela ação do maligno e permissão de Deus, ele perdeu tudo o que tinha: casa, família, dinheiro, saúde e etc. Todavia, nenhum momento ele perdeu o seu caráter de integridade e justiça, em outras palavras, de honestidade, mesmo sendo questionado pela sua esposa e amigo (“amigos de jó”, rsrs!).

Tal virtude articulada por Cortella e vivenciada por Jó é o desafio que cada um de nós cidadãos e brasileiros precisamos desenvolver, virtude esta que foi concedida por Deus no coração de cada individuo independentemente de seu credo e estilo de vida, baseado em Sua graça comum (favor dado a todos). Paulo ensina isso em suas sábias palavras: Não tem a lei, praticam naturalmente o que ela ordena… pois mostram que as exigências da lei estão gravadas em seus corações (Rm 2.14 e 15). Desta forma se queremos mudanças em nossa sociedade e política, comecemos com tal mudança em nós, buscando viver a virtude aqui destacada de maneira integral. Este é também o desafio que a fé cristã nos proporciona!

305712_237935559597520_100001432347400_659225_848712836_n

Embora tal virtude seja importante e notória há uma outra que faço questão de expor que não foi expressa por Cortella, mas estava na vida de Jó conforme o mesmo texto ensina: Ele era temente a Deus. A honestidade pode ser mais articulável e produtiva em nossas vidas e sociedade quanto nós viermos temer a Deus. Tal temor é o alicerce de todas outras virtudes, por exemplo, como diz os textos bíblicos: O temor ao Senhor é o principio da sabedoria (Sl 111.10; Pv 1.7). Como também é o principio da honestidade! E da mesma maneira que Jó manteou-se honesto ele também manteou-se temente a Deus apesar de tudo, pois “em tudo não pecou com os lábios” (Jó 2.10b).

Hoje tal temor se encontra na submissão ao senhorio de Jesus Cristo no lançar-se aos seus pés, que automaticamente produzirá em nós e em nosso meio as virtudes necessárias.

Encerro por aqui com as palavras de Salomão: Agora que já se ouviu tudo, aqui está conclusão: Tema a Deus e guarde os seus mandamentos, pois isso é essencial ao homem (Ec 12.13).

HONESTIDADE + TEMOR A DEUS = SANTIDADE.

Pr. Esp. Maurício Montagnero.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s