A PERSISTÊNCIA DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA SOCIEDADE BRASILEIRA – MISOGINIA

Publicado: 28 de outubro de 2015 em Sem categoria

Esse foi o tema da redação do ENEM 2015. Eu não fiz a prova e não estava lá, porém, minutos após do término do ENEM, creio que ainda que antes de terminar, o nosso facebook comunicou qual tinha sido a temática redacional de tal teste.

O que foi interessante no facebook é que os feministas (ou as? pois havendo homem no meio do movimento se usa “os”… Aff! Que preconceito, rsrs…) de plantão conceituaram tal tema como uma abordagem tal (olhe a imagem abaixo), enquanto não é! O tema da VIOLÊNCIA (e não qualquer outro assunto feminista, diga de passagem) é uma abordagem social a qual está em pauta de vários grupos ideológicos, políticos, sociais, culturais e religiosos, a fim de resolver o problema, que é conhecido como misoginia – repulsa a mulher que leva ao ponto de ser violentada.

Ah! Uma consideração ainda a se fazer. A questão em si não é o sexismo, machismo, misoginia, feminismo, misandria, femismo e humanismo, porém, é o ser-humano em si e o lugar de cada um na sociedade com todo o respeito e bom tratamento que merece, simplesmente por ser alguém (ser enquanto ser e como tal).

Com isso em mente, não pretendo fazer uma redação aqui, mas em articular esse tema redacional colocando-o em diálogo com a fé cristã revelado nas Escrituras – até mesmo por que tal assunto também é pauta do cristianismo e sua teologia. Logicamente, não conseguirei abordar todo o tema biblicamente nesse espaço, e nem é essa minha finalidade principal, mas refletir pelo menos em dois textos bíblicos que nos ajude a solucionar tal proposta. Vejamos quais são?

  1. Homens: entendam que a mulher é da mesma essência do que vocês Então o Senhor declarou: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”… Disse então o homem: “Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne!” (Gn 2.15 e 18a).

Tais versos têm um significado existencial profundo! Primeira questão notória é quando o substantivo destacado homem aparece no texto, não fala especificamente de um ser do gênero masculino e portador de pênis, que no hebraico seria o “zakar” (macho) ou  o “ysh” (homem), porém, fala-se do homem no sentido de raça humana que é o “adom” (ser vermelho; sangue vermelho). Por conseguinte, não é o homem de gênero masculino precisava de auxiliar, mas, sim, o ser-humano em si. Essa palavra auxiliar conota no hebraico (abad) o trabalhar e servir, ou seja, foi feito alguém e um outro humano (no caso a mulher) para trabalhar e servir  àquele que é igual a si.

Contudo, o mais interessante está no verso 18. Quando o homem diz que ela é ossso do seus ossos e carne de sua carne transmite o sentido de que ela é feita da mesma substância e essência dele. O outro ser feito, a mulher, não é de essência menor do quê o homem. Existe uma relação entre o homem e a mulher funcional – cada um têm suas funções no casamento e para sociedade, mas isso é motivo para outra reflexão. Todavia, há também a relação ontológica (como ser existente em sua totalidade) entre ambos e em tal relação não existe o superior e o inferior, mas, sim, os iguais.

Portanto, homens entendam que as mulheres são seres da mesma substância e importância do quê vocês; com sentimentos e emoções como vocês a fim de serem respeitadas; são pau para toda obra, prontas para colaborar, somar e abençoar suas vidas. Desta forma, tratem as mesmas como tais, seres existenciais e não robôs ou objetos, e dê para elas oportunidade para serem verdadeiramente auxiliadoras e companheiras! Vocês são peças do mesmo quebra-cabeça…

  1. Homens: amem suas mulheresMaridos, amem, suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela, para santifica-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Da mesma forma, os maridos devem amar as suas mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja. (Ef 5.25 – 29).

O amor do homem para a mulher é o ideal de honra e respeito, o fundamento de tais. Tal amor é um imperativo, uma ordem expressa no texto, e não uma opção. O comparativo é como Cristo amou a Igreja. De qual maneira? Morrendo por ela e a aperfeiçoando. Portanto, homem ame a sua mulher ao ponto de morrer por ela, e não matá-la ou espancá-la, pois isso é atitude de cretino e moleque que pagará por tal ato. Também, ame-a ao ponto de ajudá-la  a aperfeiçoa-se como ser, lembrando que é mútuo tal aperfeiçoamento. Certa vez Josh MaDowell disse: O maior feito que um pai pode realizar em favor dos filhos é amar a mãe deles.

Além disso, o desafio é amar como seu próprio corpo. Você por mais chateado esteja consigo mesmo, ou decepcionado ou com raiva, não vai se autoflagelar, ou se cortar, ou se suicidar (há exceções). Logo, não faça isso com sua companheira, até mesmo por que vocês agora são uma só carne e um só corpo (vs/31).

Ainda acrescento, preocupa-se com ela e com o bem-estar dela. E para sua reflexão, olha a letra dessa música da Bruna Karla que demonstra o sentimento de uma mulher amada pelo marido: Me sinto tão amada isso faz bem ao coração da gente quando tem alguém pra dividir um grande amor. Como a brisa da manhã assim você chegou, uma ótica perfeita de amor, uma ponte sobre um rio de dor. Na minha vida um sonho lindo se realizou, um presente enviado pelo meu Senhor. Você foi como um dilúvio de amor, arrancando do meu peito uma dor, e no lugar daquela cicatriz marcou as cenas lindas que o tempo já notou. Você é minha tempestade do bem, trazendo chuva ao meu deserto me fazendo alguém. Amada simplesmente pelo que é, ontem namorada, noiva e agora sua mulher. Quando mais precisei você me apareceu, um presente e o remetente era Deus.

Para concluir, peço para que as igrejas e os cristãos tenham em sua agenda cursos, congressos, simpósios ou algo semelhante em que tratem dos seguintes temas: 1) Como o homem pode tratar a mulher respeitosamente; 2) A essência e o maravilhoso papel da mulher na sociedade e família; e 3) Como lidar com casos de violência contra as mulheres. Além disso, estejam dispostos a atender as mulheres em suas angústias e necessidades, e se envolver com os problemas surgidos a fim de solucioná-los. Ofereça-se e se possível for prestem serviços para a prefeitura local a fim de colaborar com o assunto de alguma forma.

Para as mulheres fica a dica: se deem ao valor e busquem ao Senhor e sejam a Mulher Virtuosa que a Bíblia relata.

Obs.: Esse artigo não é de maneira nenhuma favorável a teologia feminista, porém, a teologia bíblico-doutrinária que ensina o valor e o papel da mulher.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s