CORRUPÇÃO POLÍTICA E A BÍBLIA

Publicado: 24 de setembro de 2015 em Sem categoria

Boa noite meus leitores (ou dia ou tarde, depende do horário que você esteja lendo, rsrs…).

Hoje quero tratar do tema acima, pois acredito que esse é um ponto em comum (convergência) entre qualquer cidadão não-cristão e um cristão: O CANSAÇO COM A POLÍTICA BRASILEIRA. Ainda mais nessas últimas semanas que vemos o Brasil retroceder e o povo sofrer com as várias medidas propostas pelo governo federal, exemplificando, mais um imposto retornando, o CPMF. Além disso, a notícia da semana do aumento do dólar para R$ 4,00.

Mas e aí… O que a Bíblia pode nos dizer sobre isso? Veremos em Ezequiel 18 a resposta, por isso sugiro que você leia. Se caso não tenha acesso, abre esse link: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/ez/18.

pregação voto eleições política bíblia

CONTEXTO DE EZEQUIEL SIMILAR AO NOSSO: Ezequiel tinha escrito aos Judeus que estavam cativos (presos) na Babilônia passando por todos os tipos de dificuldades, inclusive sociais – igualmente a nós brasileiros com o(os) atual(ais) governo(os). Esses Judeus só tinham permissão para trabalhar na agricultura a fim de sobreviverem – igualmente nós brasileiros que temos trabalhar praticamente por nossa sobrevivência. Em Salmos 137 (leia aqui: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/sl/137) vemos o trauma que eles passaram com o exílio (prisão) expressando sentimentos negativos – ao traduzirmos para nosso contexto brasileiro, nos angustiamos também com tantas injustiças sociais e gestão incompetente.

TEXTO: Embora o texto fale supostamente (supanhamos, vs/5) sobre homens, eu quero aplicar isso ao governo/estado/autoridade. Nos versos 5 – 28 ele discorre sobre a história de dois tipos de pessoas, um tipo que é do justo e reto, o outro tipo do injusto e infiel – como tem sido nosso governo. Isso me faz até lembrar a filosofia de Aristóteles sobre a amizade e o vício. Enquanto a amizade consiste na benevolência, na busca do prazer do outro, na entrega desinteressada, o vício busca obter o próprio prazer, sempre de modo imoderado e arbitrário, por vezes mascarando-se de amizade para ludibriar e conseguir uma maior vantagem – infelizmente o governo brasileiro está nas mãos desde último.

E ai? Ser ou não ser, eis a questão…

Ser um governo amigável e não ser vicioso, ou ser um governo vicioso e não amigável. Quando busca ser amigável se iguala ao homem justo e reto de Ezequiel 18 (vs/5 – 9, 14 – 17, 19, 21 – 22 e 27 – 28), agora quando busca ser vicioso é igual ao homem injusto e infiel (vs/ vs/10 – 13, 18, 20, 23 – 24 e 26).

Ezequiel cita algumas coisas semelhantes que o nosso governo vicioso, injusto e infiel tem feito, a saber: 1. Oprimido os pobres (vs/12), 2. Cometendo roubos (vs/12 e 18), 3. Cobrando juros (vs/13a) e 4. Praticado extorsão (vs/18) – tudo isso nos faz lembrar da música que diz ‘e o pobre cada vez fica mais pobre, e o rico cada vez fica mais rico, e o futuro todo mundo já conhece, o de cima sobre e o de baixo desce…” Junto com as outras atitudes têm sido detestáveis (sentido de abominação) em suas práticas diante de Deus e da sociedade.

Que tipo de Estado tem sido nosso país? Temos visto um Brasil justo? Um Brasil amigável? Não! Não! E não!

Mas e aí, o que o governo pode fazer? Primeiramente isso tem que começar de nós vigiando em nossas condutas “corruptas” no dia a dia, pois ele é o reflexo da sociedade em si com pessoas que não pensam duas vezes antes de passar o pé nos outros, serem viciosos e não amigáveis; injustos e infiéis, e não justos e fiéis.

305712_237935559597520_100001432347400_659225_848712836_n

Segundo, sugiro também que tal governo, e todos nós, nos apossemos das ideias políticas de Agostinho, Tomás de Aquino e George Washington. O primeiro dizia que para termos uma sociedade justa e harmônica deveria o mesmo viver conforme a Cidade de Deus, os princípios divinos regendo a sociedade. O segundo falava que o governo deveria Viver Diante o Divino, assim temeria mais as suas atitudes antes de cometê-las. O terceiro falou certa vez: Impossível governar bem sem Deus e sem a Bíblia. Em suma, nosso governo e nossa sociedade precisa ser resgatada e se submeter à vontade de Deus e as Escrituras. Por exemplo, conforme está direcionado nosso texto, olha que a Bíblia diz sobre os impostos: Quando o governo cobra impostos demais à nação acaba em desgraça (Pv 29.4); ou como diz outra versão: mas o que gosta de subornos leva a ruína. A Bíblia ainda dá outra dica: Pois é (a autoridade) serva de Deus para o bem (Rm 13.4), então assuma sua responsabilidade de serva de Deus e faça isso valer a pena!

Conforme vimos em Provérbios é justamente isso que está acontecendo com um o nosso governo injusto e infiel voltado ao vício, conforme o texto de Ezequiel ensina (vs/25 e 29). Diante disso a outra sugestão para NÓS está no verso 30 e 32b: Arrependam-se! Desviem-se de todos os seus males, para que o pecado não cause a queda de vocês. Livrem-se de todos os males que vocês cometeram, e busquem um coração novo e um espírito novo… Arrependam-se e vivam! Deus em sua infinita misericórdia perdoará tais pecados e de “morte” trará a “vida” (vs/21). De vicío trará a amizade!

Agora deixo uma sugestão para todos os cidadãos: Oremos pedindo a Deus que oriente nossas governantes e nossa nação: Antes de tudo recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade (1Tm 2.1 e 2).

Concluindo, interessante notar a oração feita Kansas na sessão de abertura do Senado deles. Quando pediram para o ministro Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram: Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança. Nós sabemos que Tua palavra diz, “Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem”, mas isto é exatamente o que temos feito. Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores. Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria. Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar… Nós abusamos do poder e chamamos isso de política. Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição. Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje; nos limpa de todo pecado e nos liberta. Amém! Que assim possamos buscar a Deus para nossa nação e para nós mesmo.

Ah! Não posso encerrar sem dizer algo… Todo o governo deve estar debaixo do senhorio do Senhor Jesus Cristo. Não significa fazer o estado adotar o cristianismo, somos a favor de um país laico, porém, de ter princípios que se inspire nas Escrituras e na pessoa de Cristo, como foram os puritanos na revolução americana.

Esse Cristo reinará e governará moralmente e soberanamente em nosso meio – milênio (Ap 20.4b). Essa é uma promessa que ocorre mesmo no livro de Ezequiel (caps. 40 – 48). Será que esse governo justo e amigável você terá a oportunidade de ver e participar? Só há um meio para isso: Arrependa-se e reconheça-o como Senhor e seu sacrífico naquela Cruz!

Sem título

#FicaaDica

Obs.: Semana quem vem voltarei falar do tema da CORRUPÇÃO POLÍTICA, mas pensando sobre a doutrina da DEPRAVAÇÃO TOTAL DO HOMEM.. Será muito bom!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s